terça-feira, abril 25, 2006

O Nojo Anónimo, por Vítor Pinto Basto.

Utilizador recente dos singulares mecanismos da Internet, fui alertado por um amigo para um artigo de José Pacheco Pereira (JPP) sobre os piratas da blogosfera. Não o li, JPP não é das minhas leituras obrigatórias, mas disseram-me que ele escreveu certo sobre esse nojo anónimo.

Por mim, digo desde já que passo à frente sempre que encontro um ANÓNIMO. Por ele ser um produto da não-existência.

Sou daqueles que tentam sempre encontrar o rosto da palavra proferida, tenho esse democrático defeito. Respondo sempre com a palavra serena à bala e ao insulto.

Vem isto a propósito de, neste mês de Abril, - mês que em Portugal é sinónimo de Liberdade – eu ter sido alvo da atitude desengonçada de dois anónimos que, no frenesim da sua pena, tingiram de nojo esse delicioso espaço de Liberdade que é a Internet.

No primeiro, no espaço destinado aos “comentários” de uma notícia publicada num qualquer blogue, escreveram, esta enormidade:
“cuidado com o Vítor Pinto Basto, que esse gajo tem ligações com a ETA e ao seu braço armado dos “patas negras” de Salamanca”.
No segundo, comentando um texto com o título “Há demasiada gente a viver um conflito que dói”, chegou este pêlo cheio de sebo prolixo:
“A Comissão para o Apoio aos Blogues Chatos e Às-Moscas, subsidida pelo Ministério da Cultura e pela Embaixada da República da Moldávia, vem em apoio deste blogue emitir um comentário gratuito”.

No primeiro comunicado, o brincalhão deveria ter mais cuidado com o melindre da acusação. Penso ter ficado claro no livro que escrevi - “Gente que dói - conflito basco por quem o vive” que o Vítor Pinto Basto não tem nem nunca teve ligações com a ETA. No livro, não se fala nos “pata negra” (o presunto com esse nome é bom e caro) e muito menos de Salamanca (onde só fui duas vezes, uma em trabalho para cobrir a última Cimeira Ibero-americana).

No segundo blogue, o escrito faz-me lembrar o género de alguma prosa publicada recentemente e que, a espaços, considero divertida mas também cansativa por ser demasiado repetitiva e sem substância. Lamentável a ligação do Ministério da Cultura e da Moldávia ao desajeitado comentário. Essa instituição e esse país dão rosto ao que fazem e, também por isso, merecem-me todo o respeito.

Porém, em ambos os casos, irritou-me a prepotência de quem escreveu escondido. Anulando, assim, a existência da necessária e democrática interlocução. Falaram, somente escrevendo e escondendo quem assim escreve sem rosto. Ao esconderem-se, não falaram escrivivendo, que é como quem diz: mataram o autor daquelas palavras anónimas. Por consequência, por se terem suicidado assim, são o que é vulgar-se chamar-se de “nulidade autêntica”.

Dizem-me que a PIDE, que muita gente parece agora querer esquecer, alimentava-se desses anónimos, quais vampiros que produzem fascismos e agem como execráveis déspotas.

A vida não se compadece com esses estranhos fantasmas, insuportáveis pústulas da democracia que, em vez de falarem com a clarividência dos humanos, respiram com a náusea de quem já morreu e ainda não sabe.

A esses defuntos anónimos - a que prometo jamais responderei, a partir deste momento - transmito a minha esperança de que tenham a coragem de assinar com o seu nome o que escrevem em qualquer lugar deste planeta Terra, que eu quero cobrir de sonho e alegia.

Enquanto isso não acontece, não esqueçam que hoje é 25 de Abril.

Vítor Pinto Basto

NdoE: sobre este artigo quero que seja garantido a todos o conhecimento desta «pérola» que me foi mandada para aqui por este anónimo (que possivelmente já não o será tanto):

«Que se passa? Está a ficar mole? Sentido, soldado!! A luta contra estes tipo de liberdades de expressão deve ser quotidiana e implacável! Implacable...perdão, implacável! Em Buenos Aires, nos saudosos anos de 1977-78, tínhamos belas técnicas para travar estas veleidades... Ai Buenos Aires querida! Disponha para o que quiser. O futuro da civilização ocidental, cristã e branca está nos seus ombros, caro ALC. Nas imortais palavras desse querido amigo Augusto P.: sea implacable, carajo! RdlPvS General na reserva Jogador de bridge».
É evidente, que a partir de hoje, os comentários serão objecto de moderação.
Enviar um comentário