domingo, maio 21, 2017

«A Crise do Jornalismo em Portugal», coord. de José Nuno Matos, Carla Baptista e Filipa Subtil. Já nas livrarias


ISBN: 978-989-8701-26-8
REFERÊNCIA: 1510008
FORMATO: 12x19 cm
1ª EDIÇÃO: Janeiro 2017
PAG.  192
Preço: 9,50 euros

Organizadores:
José Nuno Matos, Carla Baptista e Filipa Subtil
Autores:
CARLA BAPTISTA
CARLA MARTINS
CARLOS CAMPONEZ
FILIPA SUBTIL
FREDERICO PINHEIRO
JACINTO GODINHO
JOÃO RAMOS DE ALMEIDA
JOAQUIM FIDALGO
JOSÉ CASTRO CALDAS
JOSÉ GOULÃO
JOSÉ LUÍS GARCIA
JOSÉ NUNO MATOS
JOSÉ REBELO
LILIANA PACHECO
MARIA JOÃO SILVEIRINHA
PEDRO CEREJO
SANDRA MONTEIRO
SARA MEIRELES GRAÇA
VASCO RIBEIRO

SINOPSE: O jornalismo é uma actividade historicamente fracturada, indecidida, com origens e práticas diversas, enraizadas na história e na cultura. A crise que atravessa tem aspectos estruturais (modelos de negócio frágeis, promiscuidade com o poder político e económico), alguns dos quais decorrentes de uma história recente (perda de receitas publicitárias e de públicos; disrupção
tecnológica e identitária).
A versão portuguesa da crise, analisada neste livro, intensifica factores como a desregulação das relações laborais, uma afasia crítica e reflexiva que se traduz na ausência de modelos alternativos de existência; desequilíbrio e distorção na representação de grupos e problemáticas sociais; perda de autonomia dos jornalistas; fortalecimento dos discursos hegemónicos em detrimento do pluralismo e da independência. É um quadro pouco esperançoso.
O conjunto de artigos aqui reunidos, da autoria de jornalistas, académicos e investigadores na área dos media, pretende contribuir para a inversão deste cenário. Porque a esperança se alimenta de um debate aberto e informado.

Porquê o silêncio sobre a praxe? «Desobedecer à praxe» um livro de Bruno Moraes Cabral e João Mineiro

Porque o silêncio sobre a praxe se tem tornado insuportável, neste livro poderão encontrar um desafio ao debate e, sobretudo, um convite para a ação. Desobedecer à Praxe procura desconstruir os argumentos que têm legitimado a praxe académica, traçar uma história do fenómeno entre o século XVIII e a primeira década deste milénio e propor estratégias para passar da crítica à ação concreta.

Bruno Moraes Cabral é realizador. O seu filme Praxis, sobre a praxe académica, obteve o prémio de Melhor Curta-Metragem da competição nacional no DocLisboa 2011.

João Mineiro é sociólogo e investigador. Foi dirigente estudantil no ISCTE-IUL entre 2010 e 2015.

Título Desobedecer à Praxe
Autor Bruno Cabral e João Mineiro
ISBN  978-989-8701-16-9
REFERÊNCIA 1810001
FORMATO 10,5 x 14,8 cm
Nº PAG. 96
1ª EDIÇÃO outubro 2015

PVP 5 euros


O livro pode ser adquirido através do mail: infoderivaeditores@gmail.com - ver condições neste blog através do item loja

quarta-feira, maio 03, 2017

«Dons e Disciplinas do Corpo Feminino» de Inês Brasão, no Porto e em Lisboa





Foi assim no Porto, vai ser assim em Lisboa (dia 4) a apresentação do livro «Dons e Disciplinas do Corpo Feminino» de Inês Brasão, apresentado, no Porto, por Helena Topa e Bruno Monteiro. A Deriva, a Outro Modo e o Le Monde Diplomatique, presentes.

segunda-feira, maio 01, 2017

Nos 150 anos do nascimento de Raúl Brandão: «Tentações, Ensaio sobre Sade e Raúl Brandão», de Pedro Eiras, um livro indispensável


Tentações - Ensaio sobre Sade e Raul Brandão, de Pedro Eiras

Durante mais de dez anos desejei escrever este ensaio. Estudei Raul Brandão em Esquecer Fausto; tentei pensar um trabalho de luto incompleto pela morte de Deus, um complexo de coveiro, motivos de irrealismo; evito repetir neste ensaio o que já desenvolvi nesse livro. Noutros lugares, dispersos, publiquei outros pequenos estudos, e discuti Húmus, O Avejão, O Pobre de Pedir com alunos. Sobre Sade, escrevi muito menos: só algumas citações, insinuações, aqui e ali. Mas havia a tentação de ler Sade através de Brandão e vice-versa. Ler, especialmente, Húmus com Justine, e Diálogo entre um Padre e um Moribundo com O Avejão. Sobre esses encontros se gerou este livro. Concluindo agora estas Tentações de leitura, percebo quão evidentes elas são, e ao mesmo tempo quão improváveis. Como se este livro admitisse apenas um prefácio, um posfácio uma intuição. O resto: metodologias desmontadas de um livro a haver, estranho, impossível, evanescente, meia-dúzia de palavras apenas, ou talvez nem isso.

ISBN: 9789729250590
Edição ou reimpressão: 01-2010
Editor: Deriva Editores
Idioma: Português
Dimensões: 142 x 206 x 8 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 189
Coleção: Cassiopeia
Classificação Temática: Livros em Português > Literatura > Ensaios