terça-feira, junho 19, 2007

William Morris e a Beleza da Vida, edições &etc

«Ao olhar para a Assembleia aqui reunida, sou levado a pensar em tudo o que ela representa e não consigo evitar que a minha alma seja tocada pelos problemas da vida que afectam o homem civilizado e se inquiete com a expectativa de os superar. Mais uma vez, não vou poder deixar de vos transmitir a mensagem de que, presumo, um qualquer desígnio me encarregou. Trata-se, em suma, de apelar para que ouseis enfrentar o mais recente dos perigos que ameaçam toda a humanidade e que é um perigo imanente: o de ela vir a ser privada de toda a beleza da vida por causa de uns tantos que defendem o direito exclusivo aos privilégios. É, de facto, um perigo que os mais fortes e mais sábios entre os humanos, no seu afã para um total domínio sobre a natureza, possam vir a destruir os seus bens mais singelos e generosos, a tornar seus escravos os mais simples e, a eles, escravos de si próprios, o que levará ao mundo a uma segunda barbárie ainda mais ignóbil e muitíssimo menos esperançosa do que a primeira. (...)»


William Morris, A Beleza da Vida, Conferência no Twon Hall, Birmingham, em 1880. Livro recém- editado pela &etc
Enviar um comentário